Número total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Jogos: Sabichão, Sabes ou Não?

Aqui podes encontrar jogos divertidos sobre a Pordata KIDS e o teu país.
Atreve-te a explorar no link que se segue! 


https://www.pordatakids.pt/Jogos?fbclid=IwAR11S-oNk_KZ9T-530BADN5nLHAG4O8K1ycOQuQbwuNjBbnVKc3vdH8204k


A Incrível História do Senhor Solitário

“Na casa n.º 89 da pequena vila das 3 colinas vivia um senhor. Os vizinhos chamavam-lhe o Sr. Solitário’.” Assim começa o livro A Incrível História do Sr. Solitário, que o autor e ilustrador, Elias Gato, contou de viva voz no estúdio do PÚBLICO, em mais um Livro para Escutar do Letra Pequena. Como facilmente se depreende pelo nome, aquele homem morava sozinho. Em rigor, vivia com a sua paixão, “colecionar coisas”. Das mais insignificantes às mais incríveis. Mas um dia...

Clica no link para ouvires a história!

http://blogues.publico.pt/letrapequena/2018/08/18/o-sr-solitario-empacotou-tudo-menos-o-amor/     

 

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Recursos para o Ensino à Distância

Os quizzes são excelentes RECURSOS para o Ensino à Distância. 
São bons para rever ou consolidar aprendizagens, são um excelente instrumento de avaliação formativa e são sobretudo lúdicos e motivadores o que agrada aos alunos.
Usando a ferramenta Kahoot, ou a ferramenta Quizizz, podem ser criados novos quizz, clicando em CREATE, ou partilhados com os alunos os que lá existem, basta fazer uma pesquisa de acordo com os temas, clicando em Discover.
Podem ser usados em aulas síncronas, se optar por selecionar um “live game” e partilhar o ecrã com os alunos, que respondem através do seu computador, tablet ou telemóvel.
E podem ser usados em aulas assíncronas, se escolher um “challenge” (com ou sem data limite para a realização do quiz) e partilhar com os alunos o código que a aplicação gera.
No final, consegue sempre consultar o relatório dos resultados dos alunos.

Linha Somos Todos Digitais

Esta linha é uma iniciativa do programa INCoDe.2030, em conjunto com várias entidades, lançada com o objetivo de  ajudar a população portuguesa, sobretudo a que detém menos competências digitais, para que possa lidar melhor com a situação de isolamento social.
Uma parte significativa da população tem utilizado, de forma crescente, diferentes soluções de tecnologias digitais, com diferentes fins, nomeadamente para atenuar a sensação de isolamento. No entanto, há ainda um número significativo de pessoas em Portugal que, por não terem tido oportunidade de adquirir competências digitais básicas, estão mais arredados daqueles recursos. É para estes que o projeto “Somos Todos Digitais” disponibiliza uma linha de telefone gratuita (800 100 555), através da qual é possível solicitar ajuda junto de equipas de mentores voluntários, aptos aapoiar de forma imediata e continuada, todas as pessoas com acesso à Internet que tenham maior dificuldade em utilizar as tecnologias digitais, com particular destaque para as aplicações que permitem manter o contacto social e a realização de interações à distância.  
Saiba mais em:
 https://somostodosdigitais.pt




Ferramentas digitais

Apresentamos algumas ferramentas digitais que podem ajudar no desenvolvimento cognitivo dos alunos em cada etapa do processo educativo. A tecnologia é apenas a ferramenta mediadora do processo de aprendizagem, o mais importante são os objetivos educacionais.

terça-feira, 28 de abril de 2020

Histórias para ouvir - O Príncipe Feliz

Esta é uma história de Oscar Wilde narrada aqui, ao mesmo tempo, por Nuno Nolasco, em Português, e Nuno Costa, em Língua Gestual Portuguesa.
Conta um Conto foi buscar histórias aos livros para as virar de pernas para o ar. Para que tu as pudesses ver e ouvir melhor. Com pessoas e desenhos feitos à mão, que aparecem nos sítios mais inesperados e, às vezes, até se mexem e tentam falar, os atrevidos. São contos fantásticos que põem a imaginação a crescer dentro de ti. Tudo pode acontecer. 
Experimenta ver. Clica no link.

Media player poster frame

Histórias para ouvir - O Tesouro

Era uma vez um país que ficou sem o seu maior tesouro. Era tão valioso que as pessoas sentiam a sua falta nas coisas mais simples, como falar à vontade ou ver os filmes, ouvir as músicas e ler os livros que queriam. Andaram anos e anos infelizes, com os olhos cheios de tristeza. Sentiam-se numa prisão e, na verdade, os polícias podiam prender, castigar e até matar. Mas um dia, uma revolução de cravos vermelhos despertou o povo para a liberdade. Esta história, meninos e meninas, aconteceu mesmo e, agora, o precioso tesouro também vos pertence. 


O Tesouro é uma história de Manuel António Pina, narrada ao mesmo tempo por Carla Galvão - em Português - e Nuno Costa - em Língua Gestual Portuguesa.

Clica na imagem para a ouvires.

 O Tesouro

Pré-Escolar - Animais Domésticos e Animais da Quinta

Jogos, histórias, músicas, sons, textos sobre a higiene, saúde, cuidados básicos e alimentação dos animais domésticos e animais da quinta!
Explora e descarrega em:


Jogos Educativos

História da Madeira com o Pineco (2.º Ciclo)!
Há mais jogos muito divertidos!
Português, Matemática...
Explora em:

Histórias de embalar

 As vozes da RFM contam histórias para os mais novos
 Cliquem no link e descubram todas essas   histórias maravilhosas.
"Era uma vez..."

https://rfm.sapo.pt/content/6676/as-vozes-da-rfm-contam-historias-de-embalar-todos-os-dias


Canta e aprende HGP

Donos do mundo: de D. Manuel ao Cardeal


 


As Canções da Maria - Especial História de Portugal

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Visitas virtuais

Visita guiada ao NewsMuseum




Apesar do contexto em que vivemos, não queremos deixar de continuar a partilhar recursos educativos regularmente que possam interessar a todos os utilizadores.


Para hoje escolhemos a visita guiada ao NewsMuseum. Desta forma ficaremos a saber mais sobre os media e a sua importância no nosso quotidiano.


Neste momento de pandemia a literacia dos media torna-se ainda mais imprescindível para nos mantermos atualizados e estarmos atentos à evolução dos acontecimentos.


Vamos cuidar de nós e dos outros. Vamos ficar em casa, mas vamos estar on!


Para iniciarem a viagem devem clicar na imagem.





Boa visita e boas leituras!

Microsoft Teams

Tutorial para criar uma reunião online 
no Microsoft Teams

 

Sabias que...

27 de Abril de 1521: Fernão de Magalhães 

morre em combate, nas Ilhas de S. Lázaro, Filipinas 

 

Navegador português, ao serviço de Castela na época dos Descobrimentos, nasceu em 1480?, provavelmente em Ponte da Barca. O local de nascimento do navegador continua até hoje a ser objeto de estudo, em muitas fontes faz-se referência a  Sabrosa, município do distrito de Vila Real. Morreu bem longe dali, a mais de 15 000 quilómetros, na ilha de Mactan, no arquipélago das Filipinas, a 27 de abril de 1521. Sem honra nem glória, durante muito tempo com a sua memória esquecida. O seu diário de bordo e as suas anotações desapareceram depois da sua infeliz ingerência nas guerras tribais na ilha de Mactan, incidente que lhe tirou a vida, às mãos do régulo nativo Lapu-Lapu. Acabava assim um périplo que cobrira já dois longos oceanos e um sem número de infortúnios, problemas, mortes e revoltas entre os seus subordinados. Chegar às Filipinas foi complicado, quase dois anos depois de ter zarpado de Sanlúcar de Barrameda (Espanha), a 20 de setembro de 1519. Capitaneava uma armada de cinco navios (Trinidad, San Antonio, Concepción, Victoria e Santiago), à frente de 234 homens. Uma armada que se resumiria, no fim da viagem de circum-navegação completa ao mundo, a uma embarcação (Victoria), outro comandante, Sebastião Del Cano, e a apenas dezoito homens (incluindo Del Cano). Mas esquecidos de Magalhães, com exceção de um italiano que seguiu na armada de 1519, António Pigafetta, que nos deixou relatórios impressionantes mas autênticos das jornadas intercontinentais do navegador português e dos seus últimos dias.

Tudo começou em 1517, quando aquele nobre português, depois de uma carreira de subalternidade, sem brilho nem grandes feitos pessoais, ao serviço de D. Manuel, na Ásia como na África, ofereceu as suas armas e préstimos ao rei de Espanha, Carlos V. Apesar de no anonimato de um subordinado, Magalhães ganhou vasta experiência militar e náutica nas suas andanças pelo Oriente. Em 1505, depois de ter sido educado na corte portuguesa, partiu para a Índia na poderosa armada de D. Francisco de Almeida, 1.º vice-rei da Índia (1505-1509), a qual tinha como missão afastar as frotas turcas dos mares da região – o que se conseguiu, até 1538. Depois da partida do vice-rei, em 1509, sempre animado pelo forte desejo de conhecer as terras a Oriente (percorreu vastos territórios do subcontinente indiano e da África oriental) e principalmente as terras das Especiarias (Molucas, Sunda, Celebes), acompanhou D. Diogo Lopes Sequeira na malograda expedição (naufrágio) a Malaca, ainda naquele ano de 1509. Permaneceu no Oriente até 1513, tendo-se tornado amigo do feitor das Molucas, Francisco Serrão, junto do qual apurou os seus conhecimentos acerca dessas ilhas, das suas famosas especiarias e das rotas adjacentes. Na sua estada no Extremo Oriente, participou ainda na tomada de Malaca por D. Afonso de Albuquerque, em 1511, um ano depois de ter sido promovido a capitão. Em 1513 regressou a Portugal, tendo sido destacado para Marrocos, onde participou em várias expedições, numa das quais, a Azamor, em 1514, foi ferido num joelho, regressando a Lisboa. Atrás de si vinha uma fama menos consentânea com a sua posição, acusado de ganância e poucos escrúpulos. Não se sabe se por tal motivo ou se por outro que desconhecemos, o certo é que D. Manuel I lhe recusou um aumento de 100 reais na tença anual que lhe pagava.

Com uma imagem não muito boa junto do monarca português, afigurava-se difícil a sua anuência para outro projeto que há muito acalentava: o de atingir as Molucas por Ocidente, solução que considerava mais rentável e segura que a rota do oriente via Índia-Malaca, repleta de muçulmanos e piratas hostis aos Portugueses e seus interesses. Depois de várias recusas de D. Manuel I (também de uma nau para a Índia), Magalhães dirigiu-se a Sevilha para "vender" o seu projeto ao rei de Espanha, Carlos V. Foi acompanhado de Rui Faleiro, português. A Carlos V propôs Magalhães não apenas atingir as Molucas por Ocidente mas acima de tudo provar que aquelas ilhas não estavam dentro da área de jurisdição portuguesa defendida no Tratado de Tordesilhas (1494) mas sim em mares "espanhóis". Além disso, a viagem decorreria sempre em águas espanholas. Apesar de algumas reticências, Carlos V aceitou o projeto, confiando a Magalhães uma frota de cinco navios, 234 homens e 480 toneladas em navegação. Com muitas peripécias e uma rutura de relações com Faleiro, a armada de Magalhães saiu de Sanlúcar de Barrameda a 20 setembro de 1519, depois de lhe nascer o primeiro filho e de sua mulher esperar outro, que o altivo navegador nunca conheceu. 

Sua mulher era D. Beatriz Barbosa, filha de um amigo português de Sevilha, Diogo Barbosa, antigo companheiro no Oriente, muito influente naquela cidade espanhola, pai de Duarte Barbosa, que rumou com Fernão na fatídica viagem, que o seria também para ele (Duarte foi morto em Cebu, Filipinas, uns dias antes de Magalhães). Beatriz morreria antes da chegada dos 18 cadáveres vivos em 1522, sobreviventes da viagem de Magalhães. Tentou-se o seu regresso a Portugal, com aumentos de tença, entretanto, mas Magalhães recusou sempre.

A viagem de circum-navegação começou bem, atingiu rapidamente a América do Sul (novembro), depois de escala nas Canárias. Em fevereiro de 1520 passaram no Rio da Prata, chegando a S. Julián, na Patagónia, mais a sul, em março. Começariam aqui os maiores problemas da viagem, ou melhor, acabaria a bonança da mesma. Seis meses ficaram ali retidos, para passar o inverno. Mas estalaram revoltas e motins, perdendo-se ainda Santiago. Depois vem a procura do estreito, que receberia o nome de Magalhães, no extremo sul da América, região de "mau navegar". Passado este (38 dias) e o desaparecimento de mais uma nau (provando-se que uma rota pelo estreito seria péssima), após motins e tempestades, atingiu-se o Pacífico, assim batizado por Magalhães, pelas suas calmarias. Demorou quatro longos meses a atravessar, com muitas mortes (escorbuto), fome e as célebres "nebulosas de Magalhães", diminuindo-se cada vez mais a tripulação. Depois, chegou-se às ilhas Marianas (ou dos "Ladrões"), depois veio a emboscada de Lapu-Lapu, em Mactan, nas Filipinas. Aí, sobreveio a morte do navegador português.



Fontes: Fernão de Magalhães. In Infopédia [Em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2012

 aplop A naturalidadede Fernão de Magalhães revisitada - Amândio Barros, Edições Afrontamento.

 

sexta-feira, 24 de abril de 2020

25 de abril






Esta imagem, que reproduz um quadro de Vieira da Silva, esconde algo...


Para descobrires, clica no link





Datas Comemorativas


Uma história de abril

Olá!
Esperamos que estejam todos/as bem!
Amanhã assinala-se o 46.º aniversário do 25 de abril - revolução dos cravos. A história desta sexta é sobre essa data importante para todos nós. 
Vê, ouve e lê a história.
Boas Leituras ... EM CASA!


quinta-feira, 23 de abril de 2020

Histórias com livros

O Incrível Rapaz que comia Livros

 

Histórias com livros

O Urso e a casa dos Livros

 

Se eu fosse um livro...


E  se fossem o livro? 

Como seriam?

O que fariam?

O que gostariam? 

Imaginem tudo isto e muito mais e enviem-nos os vossos textos para o email da Bibliblioteca Escolar do AEPC: becrepero@gmail.com


Deixamos um texto de  José Jorge Letria que pode servir de inspiração porque o Livro é sem dúvida algo mágico!
Cliquem no vídeo!




Datas Comemorativas


Datas Comemorativas

DIA MUNDIAL DO LIVRO

         Os Livros 

 

É então isto um livro,
este, como dizer?, murmúrio,
este rosto virado para dentro de
alguma coisa escura que ainda não existe
que, se uma mão subitamente
inocente a toca,
se abre desamparadamente
como uma boca
falando com a nossa voz?
É isto um livro,
esta espécie de coração (o nosso coração)
dizendo “eu” entre nós e nós?

                                 Manuel António Pina
                          
                   

quarta-feira, 22 de abril de 2020

Lê... enquanto estás em casa


O LIVRO DA  TERRA
 "Eu cuido da Terra porque sei que posso fazer todos os dias pequenas coisas que farão uma grande diferença."

Clica no vídeo   que mostra que pequenos gestos podem fazer toda a diferença quando o assunto é a preservação do planeta. Gestos simples como não usar sacolas plásticas, reciclar o lixo, economizar água, não poluir o ar, apagar as luzes e não desperdiçar alimentos são fundamentais para manter um planeta sustentável.


Datas Comemorativas

O Dia Mundial da Terra comemora-se online.

 Conheça o programa 

 

São mais de 40 as organizações portuguesas que reponderam ao desafio da Fundação Oceano Azul para celebrar o 50º aniversário do Dia Mundial da Terra que se celebra, desde 1970, a 22 de abril. Mas este ano em moldes diferentes devido à pandemia da covid-19. Todas as iniciativas (estão previstas mais de 80) têm lugar online em várias plataformas digitais: Facebook, Instagram ou nos sites das entidades.
No programa, que começou a 18 de abril e se prolonga por nove dias estão a decorrer conversas sobre os mitos da reciclagem, identificação de microplásticos em casa, iniciativas de voluntariado, boas práticas ambientais, iniciativas de voluntariado ambiental para a água, quizz variados, entre outras ações.
Para esta quarta-feira, 22 de abril, a data oficial da comemoração do Dia da Terra (programa completo mais abaixo), as iniciativas começam às 8h30 com o tema "Que espécie é esta? E que espécie inovadora é esta?" na página de Facebook do Centro de Ciência Viva de Tavira.

Pelas 15h30 o Oceanário de Lisboa junta-se às comemorações com a iniciativa "Missão MAR, desvenda o crime climático", prevista nas suas páginas de Instagram e Facebook.

O dia termina com Mitos da Reciclagem disponível nas páginas de Instagram e Facebook do Movimento Claro. Mas há mais para consultar no site oficial da Fundação Oceano Azul

Programa detalhado de 22 de abril, Dia Mundial da Terra:

8h30 - Que espécie é esta? E que espécie invasora é esta? - pelo Centro de Ciência Viva de Tavira. No facebook: @CCVTAVIRA
09h00 - Da nossa casa para os oceanos - pela Associação Ambiental Cascaisea. Através do Facebook @Cascaisea
09h30 - Eu pela Terra, pela APA-ARG Algarve e Voluntariado Ambiental para a Água. No facebook de @voluntariadoambientalagua
10h00 - Consegues concluir o puzzle da chilreta barreta, por RIAS de Olhão, disponívl no Instagram e Facebook @rias_olhao
10h30 - Pela Janela, não! A beata chega ao mar. Pela Associação 10 milhões na berma da Estrada. Na página de facebook @10milhoesnabeiradaestrada
11h00 - Separados na mesma casa, por Núcleo de Estudantes de Ciência do Mar AAUAV. Disponível nas páginas de Instagram e Facebook @necmaauav
12h00 - #aultimagota_algarve por Almargem, disponível no facebook @associacaoalmargem
12h30 - Ria Formosa - conhecer e preservar, por Centro de Ciência Viva do Algarve, disponivel nas páginas de Instagram e Facebook @ccvalg
13h00 - Remoção de cabos de pesca, por Mar à Deriva - Adrift Sea, disponível no Instagram em @mar_a_deriva
13h30 - Deriva Litoral - Fábrica Centro de Ciência Viva, disponível na página de Facebook @fabricacienciaviva
14h00 - Proposta filmes por Futuro Sustentável, disponível no Instagram @sustentavelfuturo e Facebook @porumfuturosustentavel
14h30 - Surfers for the Ocean (Surfistas pelos oceanos) por Surfrider Peniche, disponível no Instagram e Facebook @surfriderpeniche
15h00 - És parte da solução por Feel4Planet disponível no Instagram e Facebook @feel4planet.

15h30 - "Missão Mar, Desvenda o Crime", pelo Ocenário de Lisboa, disponível no Instagram @oceanariolisboa e Facebook @oceanario.de.lisboa
16h00 - Foca Challenge pela Focus On Critical Actions, através da página no Facebook @focusoncriticalactions.
16h30 - Give the Ocean a Voice (Dar voz aos Oceanos) por The Trash Traveller na página de Instagram @thetrashtraveller.
17h00 - Junta-te à esperança a partir do conforto de casa, pela Ocean Hope no Instagram e Facebook @oceanhope
17h30 - A árvore da reciclagem! Pelo Movimento Sem Palhinhas. Disponível no Instagram @movimento_sem_palhinhas e no Facebook @movimentosempalhinhas
18h30 - Proposta de Filmes pela Sustentável Futuro, disponível no Instagram @sustentavelfuturo e Facebook @porumfuturosustentavel
19h00 - O meu favorito do nosso planeta, por Fábrica Centro de Ciência Viva, disponível no Instagram e Facebook @fabricacienciaviva
20h30 - Terra de Mar, por Onda Magna Surfschool. Através do Instagram @ondamagna
21h30 - Mitos da reciclagem, por Movimento Claro, disponível nas páginas de Instagram @movimento_claro e nas páginas de Facebook @movimento.claro.oeiras e @clarocascais.

 https://www.dn.pt/mundo/dia-mundial-da-terra




Datas Comemorativas

"Torna-te na mudança que queres ver no mundo." 
                                                                                            Gandhi


         A Biblioteca Escolar do AEPC deseja-lhes um
                            Feliz Dia da Terra 2020!

terça-feira, 21 de abril de 2020

Desafios de Escrita - Cápsula do Tempo








Conselhos para os alunos - E@D




Desafios de Escrita

No blogue Histórias em 77 Palavras, de Margarida Fonseca Santos! podem encontrar  a listagem de muitos   desafios de escrita sempre com 77 palavras! 
Vão até lá! 
Partilhem connosco os vossos textos.
Email: becrepero@gmail.com



E@D

Ensino à distância
Com o objetivo de apoiar alunos, pais/encarregados de educação e professores a organizar e a desenvolver o seu trabalho no âmbito do Ensino à distância (E@D), a Biblioteca Escolar disponibiliza alguns links úteis.

Microsoft Teams:
https://youtu.be/-3DqkL_2RKY 

 



Vídeoaulas em PowerPoint
https://youtu.be/i_H9sJMhJL4



Pistas para otimizar o  estudo à distância 

https://bibliotubers.com/estou-a-ter-aulas-a-distancia-21476




*Em constante atualização. 


Outono

 Antonio Vivaldi é o compositor desta grande obra da música clássica que faz parte das Quatro Estações composta no ano de 1723.  Cliquem no ...